Para entender um pouco do cristianismo brasileiro atual basta olhar para Europa a 40 anos, para os EUA a 20, pegar tudo o que há de ruim deles, misturar e pronto.

Não vou me delongar muito, mas pra quem não entendeu o que o velinho do Morris Cerulo faz no Brasil, pedindo, quase todo dia 900,00 na televisão, vou tentar explicar.

Primeiro que o americano está se enchendo dessa pedilança de dinheiro na televisão. Os tele-evangelistas estão em baixa por lá, logo, Morris Cerulo também não vai muito bem. Por isso, buscar novos mercados é preciso, nada melhor que encontrar um Brasil com 20 anos de atraso.

Além disso, o Brasil- gospel se adapta rapidamente àquilo que seu público busca. Na década de 80, o que atraiu muita gente para as igrejas foram os dons espetaculares, naquela época, quem não falasse em línguas estava fora do mercado. Tinham também grande destaque os “ex”; era comum se ver o Ex-Bruxo, Ex-Bandido. Cheguei até a ver os testemunhos de uma ex-capa da Playboy e da ex-cantora dos comerciais do Kolynos (ela “aparece” nesse comercial http://www.youtube.com/watch?v=sPc0OFuNYys , segundo a senhora que lá do púlpito falava, o Ahhhhh, desse comercial é dela).

Pelos anos 90, a ênfase eram as curas espetaculares e dons circenses, foi assim que homens como Benny Him conseguiram arrebanhar multidões. Nessa época também se viu muita ênfase em dentes de ouro, emagrecimentos instantâneos, etc. Hoje já não se fala muito nesses assuntos, eles estão vivos, mas em segundo plano.

Atualmente, a coisa é grana! Ninguém é mais bobo para ir à televisão e oferecer curas, nem orar em línguas, o topo do marketing evangélico é o dinheiro. O apelo é sempre claro: venha para Jesus e saia da miséria.

Mas, fico triste em dizer, nada disso é o evangelho, isso é apenas fumaça, que encobre a verdade.

Anúncios