Um protesto que se transformou em violência racista em Tel Aviv desencadeou nesta quinta-feira uma grande polêmica sobre a presença em Israel de cerca de 60 mil imigrantes ilegais, a maioria sudaneses e eritreus, que entram no país através do Sinai egípcio.

Na quarta-feira à noite, centenas de israelenses ocuparam as ruas do bairro pobre de Hatikva, localizado no sul de Tel Aviv, aos gritos de “sudaneses no Sudão” e outras frases xenófobas, criticando “as belas almas esquerdistas” que defendem os estrangeiros.

Alguns manifestantes atacaram e saquearam lojas de propriedade de africanos e atiraram pedras em vários carros de imigrantes, informou à agência France Presse o porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld.

 

 

Folha.com – Mundo – Em Israel, manifestantes pedem expulsão de africanos – 24/05/2012.

Tenho a impressão de que sejam judeus negros. Penso isso por causa de alguns movimentos pelo retorno de judeus etíopes que querem voltar para Israel (o Estado) mas não são bem visto pela bondosa elite branca.

De qualquer forma, conspirações à parte, eles já deveriam ter aprendido a ser mais humanos.

Anúncios