Começo uma série para acompanhar as eleições 2012. A série é tão séria quanto a campanha.

Aprendi há muito tempo que as qualidades necessárias para se ganhar uma eleição são inveras às necessárias para se exercer o cargo. Daí entendemos que o candidato corrupto será um político corrupto. E que o cara que é sério, dificilmente ganha uma eleição.

Concluo eu que, na campanha vale tudo para chamar, mas vale tudo mesmo, taí o Tiririca que não nos deixa mentir (o cara chegou lá e não piorou nada) . O que muita gente não entende, é os Tiagos Dionísios, Bozos e Mulher Avestruzes, não estão numa campanha para ganhar as eleições, estão apenas para conseguir alguns votos. Como em cargos legislativos não eleição por voto direto e sim proporcional (i.e. não ganha o mais votado, os partidos mais votados dividem os cargos proporcionais), é importante ter palhaços que atraiam 100 ou 200 votos de “protesto”.

Voto de protesto de verdade, seria o voto em candidato honesto, com propostas e campanha condizente com o cargo. Mas aí é esperar muito de um país que já é potência olímpica.

 

Anúncios