Nem o papa, nem Hitler, o anti-Cristo é o Didi. Sim, aquele simpático senhor, que alegrou os domingos de muitos incrédulos (já que os crentes estavam na igreja e não viam os trapalhões) foi eleito o anti-Cristo nas redes sociais.
O motivo é simples: disseram que ele mandou um motorista embora e irá fazer um filme que blasfema de Cristo. Essa notícia correu com a velocidade da internet e os indignados da poltrona (ô, psiti) correram (sem levantar a bunda da cadeira – um paradoxo da pós modernidade).
Até o presente momento ninguém sabe se a notícia é verdadeira ou falsa. Nem ao menos se sabe qual é o enredo do filme. Sabe-se apenas que é obrigação de todo crente divulgar na fogueira cibernética. De fato, se fala sobre a idade média, mas a crueldade cristã não melhorou nada nos últimos 800 anos. Trocamos os gravetos pelos cliques e saímos colocando fogo nas bruxas que aparecem pela frente.
O que mais me causa estranheza é saber que o mundo tem diversas calamidades acontecendo, corrupção galopante, tráfico de drogas institucionalizado na nação, má gestão do direito público, eleições, votação do mensalão, etc. e a única preocupação de milhares de cristãos com um filme do Didi.
Curiosamente, as pessoas que protestam contra o Didi são as mesmas que assistem novela das 18h (de divulgação da doutrina espírita), das 21h (que dissimula o ódio, a vingança e o mau gosto literário). Gastam horas em frente ao computador e minutos em frente a Bíblia.
Se gastassem mais tempo de joelhos diante de Deus estariam orando pelo bem e conversão do Dr. Renato Aragão. Estariam ensinando seus filhos a sair de frente da televisão. Enfim… estariam praticando o bem e não o mal.
Por fim, espalhar a fofoca é um esporte que diverte os crentes. E caso o Renato Aragão não esteja no céu, acho o argumento dele plausível para questionar a sua condenação: Mas os crentes me mandaram para o inferno. Como eu colocaria o pé numa igreja depois de tudo o que falaram ao meu respeito? Como eu acreditaria em Deus se milhares de crentes praticaram as obras do diabo?
De fato, já não sei quem estará no céu, sei apenas que muitos dos que consideramos os últimos serão os primeiros. E muitos primeiros serão os últimos.

Por fim: Sr. Renato Aragão, peço que Deus tenha misericórdia do Sr. E que ele te livre das mãos dos cristãos.

Anúncios